sábado, 28 de julho de 2012

Quando Ele está grávid@ - o que uma pessoa aprende nos programas do TLC :)


Andava a fazer zapping  e deparo-me com um programa que ia começar no TLC (Travel and Living Channel)  que se chamava: "Pregnant & Transgendered" - dígamos que este canal tem toneladas de programas  sui generis, entre os quais muiitos de gravidez: um das que estão grávidas e escondem, um das miúdas teens que engravidam, outro das obesas mórbidas grávidas, um das que não sabem que estão grávidas e, de repente, entram em trabalho de parto e acham que estão com pedras nos rins (só vi uma vez ou outra este último, os restantes só vi apresentações nas publicidades) - e penso "mas que raio vão eles mais inventar sobre gravidezes atípicas?", então o programa não é nada mais nada menos, tal como o nome indica, sobre grávid@s  "transexualizad@s".

Apresentam-nos um tipo que se sentia mal na sua pele, aos 20 anos começou a tomar hormonas femininas e transformou-se numa Emily de voz masculinizada, e uma tipa que também não se sentia feminina e hormonizou-se até se transformar no Cai. A Emily conheceu o Cai na internet (ou vice-versa) e iniciaram um romance - ela com mais 2 palmos de tamanho que ele - um dia o Cai (que ainda tinha aparelho reprodutor funcional de mulher) engravida da Emily (que ainda tinha pirilau), contra todas as expetativas dado que após 6 meses de hormonas devia ter ficado estéril e já as tomava há 10 anos!!!

O Cai lá anda grávido e decide assumir totalmente o papel de pai e elemento masculino do casal, recusando inclusive amamentar após o nascimento (também para voltar às suas hormonas masculinas) e à Emily cabe o papel de mãe, o que inclui injetar-se com toneladas de hormonas que simulam as da produção de leite para que possa amamentar  a criança, com leite das próprias mamocas de silicone, algo nunca feito na medicina transexual, mas que o médico pensa poder resultar (nunca se chega a saber porque entretanto a criança nasce, a Emily ainda não tem leite e o programa termina, deixando este suspense no ar).

Pelo meio, a cerca de 2 semanas da criança nascer arranjam um boneco que simula as necessidades de um recém-nascido -  chora com fome, cólicas, necessidade de mudar fraldas -  que têm que cuidar para "treinar", cansam-se porque o boneco chora muito e eles não o conseguem calar e acabam por despachá-lo pelo correio para a médica que lhes levou o boneco - esperemos que não façam o mesmo com a criança que nasceu se ela começar a chorar muito.....até ver estavam satisfeitos com o seu bebé de nome Dante - com certeza numa alusão às comédias Dantescas.

Nota1: não tenho nada contra transexuais, apenas descrevi o programa.

Sem comentários:

Enviar um comentário